Documentação

Uma tradição com quase duas décadas

Foi em 1998 que se realizou a primeira edição das 24 Horas TT Vila de Fronteira, uma prova de resistência que desde logo assumiu o carácter de grande festa do TT nacional, um condigno encerramento de cada temporada da modalidade, num evento único e que desde logo conquistou fiéis seguidores.

Se os pilotos portugueses dominaram as primeiras edições, desde que os grandes especialistas internacionais de resistência TT "descobriram" a prova que as equipas estrangeiras têm dominado os acontecimentos, vencendo seis edições de forma consecutiva.

Esse domínio foi interrompido em 2010 quando uma formação portuguesa voltou a colocar a bandeira nacional no ponto mais elevado do pódio, mas depressa se assistiu ao ressurgir das forças vindas de fora. Em 2011 o triunfo ficou a cargo da formação luso-francesa, de Mário Andrade, Cédric Duplé, Carlos Sousa e Francisco Pita, enquanto no seguinte o cenário foi semelhante, com Bernard Boullet, Cédric Duplé, Christian Duplé e Paulo Marques a encabeçarem o pódio.

Doze meses volvidos e o triunfo na prova do Automóvel Club de Portugal voltava a ficar a cargo de uma equipa portuguesa, então com António Coimbra a liderar um quinteto composto ainda por Luís Silva, José Pedro Fontes, Miguel Barbosa e Nicolas Clerget.

Nas últimas três edições a Vila de Fronteira voltou a ouvir a Marselhesa, com destaque para a família Andrade que fez história no ano passado ao garantir o quinto triunfo, isto numa edição em que, pela primeira vez, o pelotão inteiro das 24 Horas TT Vila de Fronteira foi até ao Centro de Interpretação da Batalha de Atoleiros para a cerimónia de partida na noite de quinta-feira.

Este ano, e como é tradição, a prova volta a marcar do final do TT Nacional. Resta ver quem vai fazer a festa no final.

15 de Jul de 2016

 

Bookmark and Share

 

Patrocínios